Blog

 

 

Fertilizantes em 2020: Um bom começo para o Brasil, um ótimo mercado para o transporte 

 

A Copadubo atua com transporte de adubos e fertilizantes dentro de Paranaguá, experiência suficiente para saber que o mercado de fertilizantes está ficando cada vez mais aquecido. Quem corrobora com essa percepção é o relatório global do Rabobank, divulgado no final do ano passado, mostrando a volta da demanda em alguns mercados importantes, como EUA e Índia. O mercado de fertilizantes não terá seus valores internacionais pressionados, pelo menos neste começo de 2020.

E o crescimento do mercado de importação e exportação de fertilizantes vem em uma crescente há algum tempo. A entrega de fertilizantes aos produtores pelas indústrias deverá somar 37 milhões de toneladas somente no Brasil, um aumento de 2% no comparativo com o ano passado.

Os preços baixos e as margens apertadas das indústrias vão favorecer as importações. Nos Estados Unidos, por exemplo, é esperada uma recuperação após problemas na safra anterior. Um dos melhores indicativos está nos preços das commodities,  que mostram uma rentabilidade maior para os produtores que optarem pelo milho em 2020, ao invés da soja.


Há algum risco?

Alguns fatores podem, sim, afetar o preço e as exportações de fertilizantes e aí citamos a peste suína africana e a tensão comercial entre China e Estados Unidos. Isso poderá acontecer pois, a soja é o principal produto consumidor quase 50% dos fertilizantes usados pelo Brasil – e é uma commoditie que afeta diretamente os fertilizantes. 

 

Mas o momento ainda segue bom para o setor. O nosso consumo interno de fertilizantes passou das 36 milhões de toneladas em 2019 – enquanto que as importações subiram para 28 milhões em 2019,ou seja, 2,7% a mais quando comparamos com 2018.

A Copadubo tem toda experiência necessária para exportar fertilizantes via Paranaguá e com segurança. Está de olho no milho dos Estados Unidos? Acompanhe a Copadubo no Facebook e no Instagram e fique por dentro de tudo o que acontece no mundo dos fertilizantes.  

Comentários Facebook